Black Friday 2020: definição, como surgiu e 5 curiosidades

Black Friday 2020: definição, como surgiu e 5 curiosidades

A Black Friday que ocorrerá no dia 27/11 de 2020 vai fazer empreendedores do mundo inteiro lucrarem como nunca. Em tempos de pandemia, as pessoas começaram a passar mais tempo em casa para contribuir com a quarentena preventiva de disseminação do covid-19, consequentemente, aumentando o tempo médio de uso digital e a acessibilidade para smartphones, tablets, notebook e computadores, que, para muitos indivíduos, tem o seu uso estabelecido como uma necessidade.

O crescimento absurdo que as vendas online tiveram nesse ano se tornou um alerta de uma grande oportunidade para as pessoas que querem vender, fazendo com que milhares de indivíduos investissem nos negócios digitais para expandir os alcances aos usuários da web.

De acordo com uma pesquisa realizada pela BigData Corp em parceria com o Paypal, foi registrado um aumento de 40,7% em vendas somente período que estivemos em  isolamento social, além de somar mais de 1,3 milhão de lojas online. Percebeu como o mundo se adaptou rápido?

Se quer você fazer parte dessa história, confira o passo a passo de como abrir o seu e-commerce e faça parte dessa história aqui.

Sabendo o impacto que o evento irá trazer aos brasileiros, saiba como a maior data de vendas onlines surgiu.

 

O que é e como surgiu?

A Black Friday remete ao dia após um evento norte-americano conhecido como o dia de Ação de Graças, que é uma data onde as pessoas compartilham comidas e bebidas livremente para celebrar as coisas boas que aconteceram durante o ano, por exemplo, colheitas em grande volume.

Quando falamos de Black Friday, uma coisa é fato, ninguém sabe o que realmente originou o evento que agita o mundo inteiro, porém, existem relatos de situações que podem estar relacionadas à data, entre elas:

 

  • Crises econômicas dos EUA

No dia 24 de setembro de 1869, dois especuladores chamados de Jay Gould e James Fisk tentaram tomar o mercado de ouro na Bolsa de Nova York, porém, o governo interferiu nas transações aumentando o custo da matéria-prima no mercado, fazendo com que os preços caíssem muito e prejudicando os grandes investidores desse ramo de negócios, todos os envolvidos perderam fortunas e o dia foi marcado como um dia de luto, criando-se o termo Black Friday.

  • A síndrome de sexta-feira

Até hoje os EUA comemoram o evento do dia de Ação de Graças e, no começo, era comum que uma parte da população contraísse uma grave “doença” (também conhecida como a preguiça) que fazia com que muitos não fossem trabalhar na sexta-feira seguinte.

Foi quando outros funcionários que não deixavam suas tarefas de lado começassem a comentar sobre a Black Friday, o dia após a Ação de Graças que as pessoas inventavam desculpas para não trabalhar.

  • Sujeira no ar

Em tempos mais modernos, os policiais dos anos 60 na Filadélfia se incomodavam com a quantia de sujeira nas ruas, a fumaça de carros e toda forma de poluição que era muito frequente durante o grande evento de descontos no país, então criaram o termo Black Friday para relacionar ao “dia sujo” com a sexta-feira.

Os lojistas não reagiram muito bem com a relação de sujeira com o melhor dia de vendas para eles, então, sugeriram a alteração do nome para Big Friday, só que mesmo sendo mais adequado, a população continuou usando o termo anterior e ele se disseminou aos outros países ao redor do globo.

Curiosidades do evento

Por mais que as pessoas reconheçam o seu termo, somente algumas sabem de certos detalhes que caracterizam ainda mais a competição de compras e vendas que acontece na Black Friday. Confira algumas curiosidades do evento com extrema relevância no mundo todo:

  1. Black Friday no Brasil

Mesmo existindo há muito tempo nos EUA, a Black Friday só chegou no Brasil em 2010 no dia 28 de outubro e prevaleceu em alta até os dias de hoje.

  1. Selo BFL

Existe um selo oficial conhecido como o selo de Black Friday Legal (BFL)  concedido pela própria Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico que confirma o comprometimento e a veracidade da marca quanto à participação do evento. Certifique-se que a loja online na qual pretende comprar tenha esse selo.

Se quiser aderir o selo BFL  em sua página, visite o site.

  1. Lista de sites não recomendados

Não é mentira que todos querem vender mais na Black Friday 2020, precisamos saber identificar as plataformas fraudulentas para não perdermos dinheiro, para isso, o Procon de SP listou mais de 400 sites da internet para você evitar fazer qualquer tipo de pagamento por serem ausentes quanto a reclamações e alertas de clientes do mesmo.

  1. A maioria se baseia em valores

De acordo com uma pesquisa da Google, entrevistados indicaram que metade dos brasileiros tem o preço do produto como o principal fator de compra (49%). Entre os outros, a confiança na loja (27%), seguida pela confiança na marca (13%), o valor do frete (5%), a forma de pagamento parcelado (3%) e, por último, o tempo de entrega (2%).

  1. Destaque de vendas para produtos eletrônicos

Com base as vendas de todas as Black Fridays anteriores no Brasil, o mercado de eletrônicos sempre foi destaque em relevância entre as outras categorias de produtos. Ele fica em primeiro lugar sendo predominante no mercado sendo 44% das vendas feitas na data.

Em segundo lugar, aparecem os itens de vestuário e acessórios sendo 19% das vendas. Em terceiro estão os produtos de beleza e games que estão empatados representando 9% das vendas.

Gostou do conteúdo? A Unimporte te mantém atualizado de tudo o que acontece no mundo da tecnologia. Receba os melhores aparelhos eletrônicos com segurança em nosso site.

" class="prev-article">Artigo Anterior

administrator

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *