Telas dobráveis são a nova aposta da tecnologia

Telas dobráveis são a nova aposta da tecnologia

Os smartphones revolucionaram a forma como o ser humano se comunica. Muito além de mensagens, vídeo-chamadas e aplicativos diversos, a maioria das pessoas usa o dispositivo móvel como uma extensão de si mesmo.

Não costumamos pensar muito nisso, mas desde o lançamento do primeiro iPhone e da tecnologia Android, os avanços no segmento dos smartphones vieram pela infinidade de aplicações criadas para esses aparelhos e da necessidade de aumentar sua capacidade de processamento, velocidade e duração da bateria.

Com as devidas proporções, desde o lançamento dos tablets, em 2013, a tecnologia ainda não havia trazido uma mudança significativa para o mercado.

Isso finalmente mudou com a chegada dos novos aparelhos com tela dobrável. A ideia principal é combinar a praticidade dos smartphones, que funcionam como um computador pessoal e podem ser guardados no bolso, com as possibilidades expandidas dos tablets, mesmo que esses não tenham obtido todo o sucesso esperado.

Necessidades do mercado

O mercado de tecnologia e telefonia móvel está estagnado. Como não houveram mudanças significativas nos últimos anos, a hegemonia dos smartphones ameaça as novas possibilidades de negócio das marcas do setor.

Dessa forma, as fabricantes estão investindo na tela dobrável para a criação de uma nova categoria de dispositivos, intermediários para o smartphone e o tablet, mas que ofereça bem mais do que ambos os dispositivos.

Telas cada vez maiores

O principal benefício é o aumento no tamanho da tela com o aparelho “desdobrado”. Smartphones começaram com telas de aproximadamente 3,5 polegadas, hoje chegam a 6,5 polegadas. No Galaxy Fold, um dos dispositivos com tela dobrável mais aguardados, a tela expandida chega a 7,3 polegadas.

As maioria das telas dobráveis são feitas em OLED, um material flexível, fino e com cores extremamente vivas.

Espessura do aparelho

Como essa tecnologia está em uma fase experimental, é claro que sua forma final e otimizada ainda não foi alcançada. Para manter os componentes internos seguros e não danificar a tela, a espessura dos aparelhos precisou dar alguns passos para trás.

Smartphones, de maneira geral, foram ficando mais finos ao longo dos anos. No caso dos aparelhos com tela dobrável, a espessura voltou a ficar um pouco maior. A ideia é ter a tela de um tablet cabendo no bolso, por isso o aparelho perde alguns pontos na questão da discrição.

O futuro da tecnologia

Como se trata de uma tecnologia inicial, seu formato ainda não foi bem polido. Além disso, o custo de um aparelho com tela dobrável não é exatamente acessível e poucas unidades foram colocadas a venda.

Também não temos com clareza a utilidade que a tela expansível pode proporcionar, além de uma cena maior para assistir filmes e séries, jogos mobile e edição de fotos. É possível que nos próximos anos, a tecnologia seja aperfeiçoada e conte com o advento de novas aplicações específicas para alavancar a sua adoção por parte do público.

E você, o que acha dessa tecnologia? Pronto para trocar o seu smartphone por um com tela dobrável? Conte para nós nos comentários e fique ligado para as novidades sobre tecnologia aqui no blog da Unimporte.

" class="prev-article">Artigo Anterior

administrator

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *